Do fruto do trabalho árduo

Um anjo desceu à Terra e colocou um tremendo de um calhau no meio de uma estrada. Um rico comerciante que passava por lá deu uma topada e saiu fulo da vida, reclamando do governo de esquerda neoliberal que dominava o país e mantinha as estradas daquele jeito. Um soldado que vivia praticando com sua espada também catou cavaco e jurou que mataria que havia deixado a pedra por lá. Um alto sacerdote deu justo com a pontinha do dedão, aquele com a unha encravada, e saiu amaldiçoando quem havia construído a estrada. Uma jovem e simplória camponesa (nessas lendas, essas mocinhas são sempre assim) viu a pedra e passou o dia inteiro tentando movê-la (não que a rocha fosse tão pesada, a moça era burrinha mesmo) até que encontrou uma moeda de ouro um bilhete que dava os parabéns para quem havia se esforçado tanto. A moça viu que com aquela porcaria de moeda não compraria seu tão sonhado iPod, mas teve um insight: colocou toneladas de pedras pela estrada, espalhou a lenda do tesouro e ficou rica vendendo kits para remover pedras.
Postar um comentário