O homem que sabia demais

Trabalhava com telemarketing há anos. Todas as madrugadas passava longas e intermináveis horas ao telefone, ligando para casas de pessoas do outro lado do mundo para fazer pesquisas. Perguntava a elas de tudo - hábitos alimentares, uso das listas telefônicas, comportamento sexual, preferências de produtos, tudo. As pessoas o ofendiam, desligavam o telefone na cara dele, gritavam. Mas muitas respondiam as longas pesquisas e contavam o que ele precisava saber para anotar nos formulários. Um dia, entre uma ligação e outra, sacou da gaveta um revólver, colocou-o na boca e atirou. Ele sabia demais.
Postar um comentário