Comédia sobre o nada II

No hospital, depois de uma espera de 2:30 para fazer raio X.

- Você, por favor, espera aqui, que vamos conferir se saiu direito e depois voltamos para te liberar, certo?
- Certo. Vou ficar por aqui.
Encosto na quina me apoiando.
- Fulana de tal. Você será a próxima.
Vem se aproximando mãe e filha.
- Me dá o papel?
- Deixa o papel comigo.
- Mas por que? Me dá o papel.
- Eu gosto de segurar o papel.
Eu me meto.
- Você nasceu para segurar esse papel, não é mesmo? É sua missão como ser humano, não é?
As duas rirem.
Aparece o estagiário da radiologia.
- Ela pode vir comigo?
- Não.
A filha vai para a sala. Eu digo.
- Parabéns, o papel é seu.
- Obrigada.
Postar um comentário